Como melhorar a velocidade de upload e download

Como melhorar a velocidade de upload e download

A velocidade da internet é algo que foge ao controle da empresa ou usuário, é um serviço contratado mensalmente e que para ter mais velocidade, precisa pagar mais. Além disso, as vezes a velocidade entregue não é a mesma contratada, em casos assim uma ligação para a operadora ou reclamação junto ao órgão regulador (ANATEL) pode resolver, porém em outros a única solução é a troca da operadora.

Antes de dar sequência recomendamos a leitura rápida dos nossos dois posts Explicando de forma simples a velocidade da internetComo medir a velocidade da internet de um jeito fácil.

Se a velocidade entregue na sua empresa está como esperado, mas mesmo assim você precisa aumentar ou otimizar a banda, esta publicação foi feita pensando em você. Vamos expor metodologias para lidar com essa situação, capazes de solucionar alguns dos problemas comuns que reduzem a velocidade da internet quando essa deveria ser alta.

Quando a velocidade entregue não é igual a contratada

Cuidado com bits e bytes

A velocidade contratada sempre é em Mbps, ou mega bits por segundo, a velocidade exibida ao realizar um download normalmente é em KBps ou MBps (kilobytes por segundo ou megabytes por segundo).

Um usuário pode reclamar que seu download não passa de 2 MBps sendo que ele contratou um link de 15 Mbps, porém ele não está atentando para a troca de unidades. Na conversão, 1 Mbps = 0,125 MBps.

Firewall ou antivírus pode afetar a velocidade

Alguns firewalls, UTMs e programas antivírus foram conhecidos por interferir na velocidade da internet com alguns usuários, aumentando ou até reduzindo. Recomenda-se fazer um teste de velocidade com os recursos de segurança habilitados e então o mesmo teste com eles desativados. Se encontrar diferenças, recomenda-se o ajuste fino ou até a troca dos sistemas.

Programas roubando largura de banda

O usuário ou algum equipamento na rede pode estar executando vários aplicativos que sugam uma grande fatia da largura de banda, vários desses aplicativos podem ainda estar em segundo plano, para enxergá-los basta abrir o Gerenciador de Tarefas e ir até o monitoramento de rede (Network ou Ethernet).

Firmware ou hardware defasados

A velocidade do provedor pode ser ótima (150 Mbps por exemplo), mas de nada adianta se o roteador é antigo e por exemplo só atende aos padrões 802.11b e 802.11g, ou ainda tem portas apenas de 100 Mbps. Vale verificar se há um firmware atualizado com novos recursos ou até trocar de equipamento.

Verificar a velocidade real de largura de banda

O problema pode não ser o dispositivo do usuário ou qualquer outro equipamento, mas sim a velocidade entregue. Vale verificar a qualidade e velocidade fornecida pelo provedor, em casos assim pode ser necessário uma análise mais profunda e técnica do ambiente, para então indicar a troca do fornecedor.

Quando a velocidade contratada é baixa e precisa ser otimizada

Somente o essencial precisa ir para a nuvem

Em um backup por exemplo, não há necessidade de salvar todos os arquivos da organização, certas informações cruciais para a continuação do negócio devem ter prioridade, backups de imagens do sistema devem ser apenas para equipamentos essenciais (servidores por exemplo). Uma seleção prudente de arquivos para backup definitivamente resultará em economia de banda. Veja nosso post Melhores práticas em segurança de dados: O que salvar no backup?.

Ainda sobre o backup, vale fazer backup dos dados quando não há muitos usuários da rede, isso irá reduzir o congestionamento da rede. Uma boa opção seria executar backup de arquivos críticos às noites e executar backups baseados em imagens e outros backups de largura de banda nos fins de semana.

O mesmo vale para serviços de armazenamentos em nuvem como Dropbox OneDrive e Google Drive, se houver um volume muito grande de informações adicionais ou modificadas, isso irá impactar em consumo de largura de banda.

Armazenamento local

Quando a rede está lenta, fazer um backup online ou em tempo real pode se tornar um pesadelo. Para evitar isso, é possível implementar unidades locais para backup. Sabemos que esse backup certamente não ajudará em casos de desastre como incêndio, inundação ou roubo, mas ainda será bastante útil em problemas como um servidor sem conserto.

Aqui, uma solução de transporte de dados em escala petabyte como AWS Snowball e Google Transfer Appliance pode ser útil. Ainda é possível a empresa terceira de TI oferecer armazenamento e transferência para a nuvem para o cliente.

Utilizar mais de um provedor de internet

Ainda por último, é interessante considerar ter mais de um provedor e agregar links de internet, dividindo tráfegos entre as bandas, por exemplo através do provedor A ocorrem apenas operações de upload de backup e no provedor B demais acessos como páginas web, e-mail e outras rotinas diárias.

Conclusão

Hoje é fato que qualquer negócio utiliza internet no seu dia-a-dia, além disso há operações que utilizam em grande escala o link de dados, criando uma dependência crítica da velocidade de banda. Por isso é indicado considerar os métodos acima e prevenir problemas frustrantes como lentidão e interrupção no acesso à internet.

Se o seu negócio precisa de consultoria, auditoria e suporte para a sua estrutura em TI, faça contato conosco e fale com um de nossos especialistas, teremos prazer em ouvi-lo e ajudá-lo.

Comentário (1)

  • paulo Reply

    Muito proveitosas as informações

    24 de maio de 2019 at 10:10

Deixe um comentário

Seu e-mail não será divulgado.