Como escolher um provedor de hospedagem

Como escolher um provedor de hospedagem

Nesta primeira publicação do ano falaremos sobre uma dúvida e as vezes problema recorrente em nossos clientes: a escolha do provedor de hospedagem para e-mail e site (não discutiremos serviços de cloud computing, ou computação em nuvem). Em 2016 publicamos um artigo explicando o que é um provedor de hospedagem, hoje vamos nos aprofundar no processo de escolha do melhor serviço, queremos que nossos clientes fiquem tranquilos com o funcionamento de seus sites e e-mails.

O custo de um provedor normalmente é pequeno, de R$15,00 a R$40,00 por mês em média, os recursos oferecidos são muito parecidos, variando a o espaço disponível, contas de e-mail, registro de site, banco de dados e construtores automatizados para websites, porém a escolha deve ir muito além desses recursos, itens como rapidez no suporte, estabilidade (SLA) no serviço, velocidade de acesso e tamanho no mercado também devem ser considerados.

Recursos básicos e avançados

Alguns itens são essenciais e sempre oferecidos pelos provedores, são eles:

  • Hospedagem de no mínimo 01 website, é raro alguém precisar hospedar mais de 01 site na mesma conta.
  • Espaço em disco para o website, sendo no mínimo 5 GB para um site institucional simples (Qual o tipo do seu site?).
  • Banco de dados MySQL, pelo menos 01 banco liberado, ferramentas como WordPress utilizam esse recurso.
  • Acesso FTP, essencial para atualização do website.
  • No mínimo 05 contas de e-mail com pelo menos 250MB de espaço por conta, verificar esse item de acordo com a necessidade do seu negócio, considere o uso de um serviço separado de e-mail em nuvem (veja aqui).
  • 100 GB de limite de tráfego, o suficiente para 05 contas de e-mail e 01 website.

Recomendamos começar a escolha do provedor observando os itens acima, definido isso deve-se passar a recursos avançados e que podem ser interessantes:

  • Certificado SSL garantindo segurança e procedência ao website, para lojas virtuais e portais de usuários isso é essencial.
  • Backups diários ou semanais do website dependendo da frequência de atualização, nunca sabemos quando uma atualização pode afetar o funcionamento de todo o site.
  • Processador, memória e disco SSD para a hospedagem, isso pode aumentar em muito a velocidade de carregado do site elevando o ranqueamento no Google.
  • Construtor de site amigável, com várias personalizações e templates disponíveis, hoje para fazer um website do zero o preço é no mínimo R$500,00 com profissionais autônomos ou R$1.500,00 direto com empresas, lembrando ainda que com valores assim tão baixos a qualidade do projeto nunca será garantida.

Provedor Grande X Provedor Pequeno

Algo muito interessante no mercado de provedores de hospedagem é que podemos dividi-lo em 02 grandes grupos: provedores grandes, globais ou nacionais e provedores pequenos ou regionais, cada qual com suas vantagens e desvantagens.

Provedores grandes

Incluímos nesse grupo empresas como Uolhost, Kinghost, GoDaddy, HostGator, Locaweb e Hostinger. São provedores com milhares de sites hospedados, atuação nacional ou internacional e normalmente com datacenters próprios e nacionais garantindo latência menor (acesso mais rápido).

A grande vantagem desses provedores é que com uma grande quantidade de clientes, dificilmente sofrerão problemas de instabilidade, além disso conseguem oferecer mais recursos agregados a preços mais competitivos.

A desvantagem normalmente é o suporte, é raro conseguir contato com analistas especializados ou com conhecimento técnico razoável, normalmente o suporte é sempre de primeiro nível, isso pode atrasar a solução de problemas e prolongando a instabilidade do site ou e-mail.

Provedores pequenos

Aqui temos empresas pequenas, regionais e as vezes caseiras. Se observarmos os preços em planos com recursos básicos, tanto provedores pequenos quanto grandes não terão muita diferença, porém quando pensamos no suporte, indiscutivelmente o atendimento em provedores pequenos será mais rápido e ágil, representando uma vantagem a eles.

No entanto, observamos duas desvantagens, a primeira é que não operam datacenters próprios, contratam de terceiros e estrangeiros, isso representa uma latência maior no carregamento do site e está mais suscetível a problemas.

Já para a segunda desvantagem vamos contar uma história ocorrida com um dos nossos clientes. Nessa cliente, e-mails enviados estavam sendo barrados por um grande banco e um órgão estadual (em ambos os casos o envio de e-mail retornava ao cliente com um erro acusando domínio bloqueado).

Fizemos contato com a TI dessas instituições e a resposta foi que o provedor (DNS) do nosso cliente era pouco confiável e provável hospedeiro de agentes que enviam spam/vírus. Acionamos o provedor o qual relatou que infelizmente ele tem pouco peso e algumas instituições acabam por bloquear o seu DNS, por ser pequeno seria impossível conseguir a liberação do seu DNS.

Como não conseguimos a liberação do domínio do nosso cliente junto às duas instituições, optamos por migrar para um grande provedor, esse é o lado ruim de um provedor pequeno.

Conclusão

Sabemos que esse assunto normalmente é definido pelo responsável do site, webdesigner ou empresas de mídia. Porém essa escolha pode passar pelo gestor ou área de TI, por isso escrevemos esse artigo.

Recomendamos a leitura caso você não queira problemas de lentidão, indisponibilidade ou demora para solucionar problemas em seu site ou serviço de e-mail, também há um site independente chamado Melhor Hospedagem de Sites, ele contém análises e comparativos de provedores. Por último, lembramos de nunca atrasar o pagamento da hospedagem, esse é o principal motivo na interrupção desses serviços.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será divulgado.