Guia sobre como escolher a impressora ideal (Parte 2)

Guia sobre como escolher a impressora ideal (Parte 2)

Se você não viu a primeira parte desse guia, clique aqui e dê uma lida, a seguir a segunda e última parte.

Recursos do equipamento

Apesar do foco desses equipamentos ser apenas impressão e/ou digitalização, há recursos interessantes que podem facilitar o dia a dia do usuário. Primeiro item chama-se impressão duplex (ou frente-verso), normalmente os equipamentos já vem com impressão duplex manual, quando após a primeira impressão o próprio usuário recoloca as folhas na bandeja e reinicia o processo afim de que as folhas saiam impressas nos dois lados, porém existem equipamentos que fazem tudo automático, é a tal da impressão duplex automática, presente em equipamentos mais robustos é uma tecnologia interessante para diminuir o volume de documentos (pilhas de papel) e economizar folhas de papel.

Outro item para observar é a velocidade de impressão, medida em ppm (páginas por minuto), basicamente é a quantidade de páginas impressas por minuto no modo rascunho (econômico) do equipamento, pode variar se a impressão é mono ou color. Começa em 7 ppm para equipamentos jato de tinta básicos chegando a 100 páginas em impressoras destinados a indústria gráfica.

Por último temos a resolução de impressão e digitalização, para trabalhos com texto, planilhas e gráficos qualquer equipamento novo terá uma ótima qualidade, já para fotos é preciso atentar a esse quesito, se esse for o objetivo recomendamos dispositivos próprios para impressão de fotos, tem custos de aquisição e suprimentos mais elevados mas o resultado é profissional. A resolução de digitalização é praticamente padronizada entre as multifuncionais, é o suficiente para uso pontual e poucos documentos, se você precisa digitalizar elevada quantidade de documentos sugerimos scanners de mesa que são focados nesse tipo de tarefa.

Irá disponibilizar em rede?

Se no ambiente de uso mais de um usuário irá utilizado o equipamento, seja para impressão ou digitalização, pense em conectá-lo diretamente à rede ao invés de compartilhá-lo através de um computador ou servidor. Equipamentos com conectividade de rede via cabo (ethernet) ou WiFi dificilmente deixam de ficar acessíveis, já quando conectados a outro computador ou servidor para compartilhamento em rede, é comum ocorrerem problemas.

Para digitalização direto em servidores, onde os documentos digitalizados ficam instantaneamente disponíveis via rede, um ótimo recurso é o scan to FTP ou simplesmente FTP, com ele o gerenciamento do equipamento fica mais fácil bastando configurar um site FTP no servidor e preparar essa função na multifuncional, ao fazer uma digitalização o arquivo é automaticamente salvo no servidor e o usuário pode acessá-lo via rede. É prático pois dispensa qualquer instalação ou configuração nas estações.

Impressão via NFC pode ser interessante também, essa tecnologia permite imprimir de um jeito fácil e prático via tablets e smartphones.

Além disso, se for comum mais de um usuário imprimir ao mesmo tempo pense em equipamentos com boa memória RAM, 128MB no mínimo, porém é importante dimensionar de acordo com a quantidade de usuários e volume de trabalhos de impressão.

Frequência de uso

Algo importante a se pensar é o volume mensal de impressão, todo equipamento em suas especificações tem um item chamado ciclo mensal de impressão, é a quantidade máxima indicada de impressão por mês, significa que extrapolando esse número o equipamento estará trabalhando com uma carga excessiva sofrendo um desgaste além do projetado.

Se o volume de impressão é pequeno, até 200 páginas/mês não há necessidade de pensar nisso. Equipamentos com tecnologia laser tem maiores ciclos de trabalho com taxas acima de 10.000 páginas/mês.

Sistema operacional compatível

Em sua grande maioria impressoras e multifuncionais novas funcionam em sistemas operacionais a partir do Windows XP e Server 2008. Se o ambiente ainda dispõe de computadores com sistema operacional Windows Server 2003 ou anteriores, Windows 98, Mac OS ou Linux, é importante checar no site do fabricante a disponibilidade de drivers e softwares para esses sistemas.

Rendimento, custo de suprimentos e assistência técnica

Já discutimos anteriormente em números a diferença de custo e rendimento, concluímos que equipamentos do tipo tanque de tinta são mais econômicos quando focamos apenas os suprimentos, resumindo:

  • Cartucho de tinta: preço por unidade mais barato entre todos, R$40,00* na média custa 01 cartucho, porém tem o pior rendimento, média de 100 páginas impressas por cartucho.
  • Tanque de tinta: preço por refil de tinta intermediário, R$100,00* em média, tem o melhor rendimento imprimindo 4.000 páginas em média por carregamento de tinta.
  • Toner: o mais caro entre todos, R$250,00* em média é o custo de cada toner, rendem em média 2.000 páginas.

Impressoras foram criadas a décadas, o mecanismo de funcionamento já foi bem desenvolvido e não mudou muito, por isso é difícil acontecerem problemas nos primeiros anos de uso. Problemas ocorrem em geral após o 4º ano de uso e estão ligados a peças que sofrem desgastes, como unidade fusora, cilindro e rolamentos. Se precisar de manutenção recomendamos escolher assistências autorizadas e com boa reputação, e antes de autorizar o orçamento comparar os valores do orçamento frente a um novo equipamento, as vezes vale a pena substituir a impressora ou multifuncional.

Recomendamos sempre consultar um especialista em TI para ajudar a escolher o equipamento ideal.

*Todos os valores expostos nessa série foram baseados em suprimentos novos e originais.

Atualizado em 28/07/2017 às 17:42.

Referências

  1. Soares, Karla. Como escolher uma impressora certa para seu uso? Acessado em 01/05/2017.
  2. Impressora – Wikipédia. Acessado em 01/05/2017.
  3. Herefordshire Printer Ink, Laser Toner Cartridges and Servicing – Rethink Printing. Acessado em 01/05/2017.
  4. Impressoras | Datavip Online Blog. Acessado em 02/05/2017.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será divulgado.