Diferenças entre os switches de entrada da marca TP-Link

Diferenças entre os switches de entrada da marca TP-Link

Gostamos de trabalhar com equipamentos de rede da marca TP-Link, há anos instalamos em nossos clientes de switches, modens ADSL a roteadores WiFi. São produtos de boa qualidade, ótimos recursos, fácil configuração e gerenciamento, além de terem preços acessíveis. Como são produtos de entrada, para redes pequenas ou com necessidades básicas, há cenários em que escolhemos equipamentos de outras marcas para implantação, porém no geral é comum utilizarmos a marca TP-Link.

Nesse post vamos tratar especificamente dos switches de entrada, não gerenciáveis, com velocidade Gigabit, de 16 e 24 portas, são os modelos TL-SG1016D, TL-SG1016, TL-SG1024D e TL-SG1024. Já vendemos alguns equipamentos desses modelos e sempre há a dúvida, seja em nossa equipe comercial, técnicos ou até no próprio cliente que por curiosidade pesquisa na internet, sobre o porquê da diferença de preço entre um equipamento Gigabit com 16 portas da linha D e um da linha normal com a mesma quantidade de portas e velocidade.

Todos os equipamentos são montáveis em rack, suportam os padrões IEEE 802.3i, IEEE 802.3u, IEEE 802.3ab , IEEE 802.3x, tem Auto Negociação 10/100/1000 Mbps em todas as portas, trabalham com as mesmas conexões de cabos, não tem cooler, tem os mesmos recursos de desempenho mas diferem em ausência de QoS e no tamanho físico do dispositivo.

QoS

QoS (do inglês Quality of Service), segundo o site Hardware.com.br “… permite definir prioridades de acesso, fazendo com que chamadas do Skype e jogos multiplayer tenham prioridades sobre o bittorrent por exemplo. O QoS é útil sobretudo em redes com muitos clientes e se bem utilizado pode melhorar sensivelmente a qualidade da conexão, reduzindo a necessidade de um link mais rápido.”

Com a tecnologia QoS, um equipamentos gerenciáveis como roteadores e switches podemos definir tipos de tráfego que são prioritários em uma rede e por isso terão mais banda e velocidade disponíveis. No caso de switches não gerenciáveis como os modelos discutidos aqui, os equipamentos vem com uma tabela pré-configurada de prioridades, e isso faz uma diferença interessante no desempenho da rede.

Os equipamentos da linha D como TL-SG1016D e TL-SG1024D não vem com o recurso QoS.

Tamanho compacto

Outro item diferente entre as linhas é o tamanho físico dos dispositivos, os equipamentos da linha D tem dimensões menores e dependendo do projeto são úteis em espaços pequenos. Lembrando que ambas as linhas podem ser instaladas em rack, o único porém é que nos equipamentos da linha D utiliza-se duas abas laterais, enviadas com os switches, para nas réguas do rack.

Além desses recursos não há outras diferenças entre os equipamentos.

Se ficou alguma dúvida, envie um comentário abaixo ou entre em contato conosco, até mais.

Referências

  1. Qualidade de serviço (telecomunicações) – Wikipédia. Acessado em 23/06/2017.
  2. Switch Gigabit de 16 portas TL-SG1016D – TP-Link. Acessado em 23/06/2017.
  3. Switch Gigabit de 16 portas TL-SG1016 – TP-Link. Acessado em 23/06/2017.
  4. Switch Gigabit de 16 portas TL-SG1024D – TP-Link. Acessado em 23/06/2017.
  5. Switch Gigabit de 16 portas TL-SG1024 – TP-Link. Acessado em 23/06/2017.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será divulgado.